Links Quebrados!

Olá, Galera...
Mandem seu pedido e informação sobre os links para: jqrc2005@yahoo.com.br ...E se você quer nos ajudar, traduzindo, diagramando, transcrevendo, restaurando, revisando ou escaneando, mande uma mensagem pro mesmo e-mail!

...Pessoal, acompanhe a Cronologia e Baixem também minha Planilha de Excel com a Cronologia Numerada para localização dos Gibis e Links... e Uma Boa Leitura a Todos!

Aquiles Grego

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

ESTANTE DO GREGO - EPISÓDIO 3 - OS CORTES DA ABRIL

Curtam mais um episódio da Estante do grego, com a Participação do outro membro da equipe Era Marvel... Aldebaram50!!!!

17 comentários:

  1. Parabéns pelo excelente trabalho! Até mesmo quem começou a ler a Marvel nos anos 1990 também sofria com a pulada na cronologia. Não cheguei a ter as edições originais mas me lembro que nessa época eles pularam Os Vingadores desenhado por Mike Deodato.

    ResponderExcluir
  2. Essa história da cronologia Marvel-Abril, foi uma grande chateação, e a várias razões para ela ter acontecido.
    Primeira e obvia, como vocês bem colocaram, era o formato das nossas revistas, mas isto era por simples questão financeira. Se vocês procurarem pela Teia Do Aranha, as 6 primeiras edições são em formato americano, coloridas e com 64 páginas e um preço bem acima das formatinho que possuíam maior número de páginas, até tentaram mas tiveram que reduzir o formato por uma simples questão de mercado, ou isso ou o cancelamento.
    Segundo, eram poucas revistas para a quantidade de material americano, a Abril sempre foi muito "medrosa" com o lançamento de revistas, até mesmo os X-Man demoraram para ter um titulo e quando veio, foi na realidade uma troca de nome da revista SAM.
    Terceiro, o tempo de defasagem em relação a cronologia americana, em 1986, por ex, estava em 4 anos e eles "tentavam" acelerar, queriam baixar essa diferença 1 ano, e faziam isso cortando fases inteiras de um personagem.
    Graças a essa bagunça cronológica, vivemos alguns absurdos e o maior de todos talvez tenha sido a primeira publicação de Secrets Wars, que batia recordes de venda em todo mundo e logicamente queriam publica-la logo aqui. E o que virou? Uma série que foi pensada pra mudar o destino de vários personagens, virou um pastel que no final era obrigada a deixar tudo como estava, já ela se adiantava mais de 2 anos em relação a cronologia publicada aqui.
    O Assunto foi bem debatido entre vocês mas acho que daria mais uns bons programas. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Meu Zeus, escrevi X-Man. me perdoem esse pecado, eu ainda nem fui dormir, o assunto me empolgou! :)

    ResponderExcluir
  4. Muito massa, valeu galera por mais esse estante do grego!!! Quero participar hein, de algum episódio ae!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabens esse assunto e muito interessante mesmo. Eu comparei toda minha coleção do Incrivel Hulk brasileira com a Americana e tem varios cortes de pagina, falta de baloes,cortes de personagens e varias ediçoes que pulavam.
    Mas graças a vcs vamos começar uma nova ERA MARVEL!
    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, Aquiles,Karlus e Aldebaram. A Estante está ficando melhor a cada Edição. Os temas 'Scans' ,'Abril' e 'não compre Scans' foram super-importantes. Valeu!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o video artigo de vcs, não vou entrar com uma conversa muito longa pq eu mesmo vivi essa epoca (tenho agora 43 anos) e sim tb olhava os creditos das revista para saber o ano que sairam nos EUA. Só acho uma coisa desde que tomei conhecimenteo da existência dos ditos SCANs, nunca lee sobre venda dos mesmo, no maximo pedem doações para compra de exemplares - a maioria europeus - para posterior tradução e só. Então de novo obrigado por essa materia e acredito outras que virão ^^

    ResponderExcluir
  8. oi marcio. no caso das doações é completamente diferente. eles arrecadam o dinheiro compram exemplares europeus que n são baratos, escaneiam e traduzem sem ganho pessoal algum, se brincar ainda completam do bolso para trazer o material para o brasil. que é um trabalho feito pelo pessoal do blog NDRANGUETA & DECK`ARTE que eu sigo e que tenho como parceiro do arte.

    eu pessoalmente já encontrei 4 anuncios de vendas de scans no mercado livre. e tenho certeza que outros leitores tb viram isso. é sobre casos assim que nos referimos.

    abs e tudibão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humm, não sabia, valeu pela informação, vou ficar de olho entao, embora conseguir arracar dinheiro de mim sobre isso será muito dificil kkk. PS. ajudo na medida do possível alguns fansubbers como o Hinata-sou ou Punch ^^

      Excluir
  9. Esse é um assunto complicado. Quem viveu a época e era moleque (como eu) não tinha a menor noção de acontecia esses cortes e adaptações. Eu, por exemplo, só fui ter conhecimento disso já com muito tempo de leitor. Acho que os editores da Abril na época não tinham muito o que fazer já que herdaram uma cronologia bagunçada. Acabou sendo a solução, apesar de horrível. Mas é legal ver que existe uma turma disposta a trazer essas histórias do jeito que elas deveriam ter sido publicadas. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  10. Vou dar uma de advogado do diabo. A Marvel começou a publicar em 1961, mas no Brasil em 1967 e a Abril em 1983. O direito autoral era de mais de uma editora e alguns personagens nem tiveram os direitos adquiridos, pois não vendiam muito nos EUA, e aqui então... Então de saída 6 anos de atraso, some mais as paradas, recomeços e pulos das antigas editoras quantas revistas seriam necessárias pra emparelhar os personagens? Qual seria a proporção? Digamos 1970 à 1980: atraso 120 edições. Para acabar com o atraso no prazo de um ano seria de 11x01. Seria atrativo para o leitor uma história de um principal e onze de um coadjuvante numa revista? Sem falar da inflação da época, eu tenho uma nota de 100.000!!!! Eu acho que o formatinho surgiu por isso, olha os preços nas capas, a HTV 99 custava Cz$ 15, a 112 Cz$ 200.

    ResponderExcluir
  11. Ah, e mais uma coisa: aqui na minha cidade tem uma fábrica de móveis e eles tem estantes kkkkk. Se tu quiser comprar uma...

    ResponderExcluir
  12. Nas tuas próximas "Estantes" tu poderia dedicar uma parte para a leitura/análise da seção de cartas das antigas revistas, para mostrar os gostos, dúvidas,etc. do pessoal das diferentes épocas da Marvel no Brasil.

    ResponderExcluir
  13. A questão da censura, como foi dito no vídeo, foi pouca, mas existiu sim.

    Já é clássico o caso da Camelot 3000, que tinha uma cena de lesbianismo que foi cortada na primeira vez que publicaram em Superamigos e restaurada anos depois quando publicaram em forma de mini-série.

    Provavelmente era mais autocensura feita pela própria Abril do que algo imposto de cima pelas autoridades. Eles faziam pequenos cortes e mudanças pra evitar assuntos polêmicos ou que pudessem gerar reclamações.

    Aqui um exemplo: http://i.imgur.com/bfKy3RT.jpg (Incredible Hulk #256, 1980) Nessa cena o Hulk fala sobre "livros velhos que mandam o povo lutar e matar pela terra". Pra época é uma crítica bem forte às religiões que causam guerras naquela região. Na versão brasileira virou apenas "vocês não repartem terra". Difícil acreditar que uma mudança tão drástica tenha sido só por causa do espaço reduzido. Alguém da Abril deve ter ficado com medo de desagradar os seguidores de tais livros...

    ResponderExcluir
  14. Parabens pelo trabalho de vocês, sou um quarentão saudosista!

    ResponderExcluir
  15. No Brazyl é comum editar, alterar e ter medo de opiniões alheias. E tem gente que pensa por nós e acredita achar o melhor para nós, como se fossem defensores de causas censuráveis imbecis ou calculistas censores educastradores politiqueiros de sua empresa, e tem que dar lucro! Tal é a mania de Latino-Americano de temer e ofender o óbvio absurdo e as frescuras da classe média. Quadrinhos sofrem com isso desde 54 e nos EUA ainda existe censura instituida desde então. Nem filmes e seriados de outros países escapam da tesourinha...
    Pena que a Abril se conceitue dominadora de mercado, empresa capitalista feroz (sic) ou ufanista burguesia dominante da moral e dos bons costumes. Cortam e editam o que querem e os estrangeiros NUNCA chiaram por causa disso! Faz parte da cultura nacional cuidar de nós pelo que pensamos, julgamos e devemos ver ou ler. Lutar contra isso será inútil e sempre foi inútil, fazer o quê? HQs lá fora, estranhamente nos EUA e Europa, NUNCA SOFREM CORTES de editoras irresponsáveis e que não respeitam os leitores - não é mesmo?

    ResponderExcluir
  16. Bem verdade isso, Francisco! Mas façamos nós mesmo o que deveria ter sido feito antes! Vamos que Vamos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...